Sem título!

Momento desabafo sobre o dia de São Jorge:
Dia de São Jorge, nada contra, acho esse santo incrível, e tenho fé que as pessoas ainda irão evoluir ao ponto de orar em casa ao invés de soltar fogos na alvorada. Minha maior preocupação é: quem vai acalmar meu filho (nos próximos anos) quando os fogos começarem? Eu, claro. Isso não será sacrifício pra mim, mas pra ele com certeza. Ninguém pensa no estresse dos animais e do medo das crianças que, em plena madrugada, são acordados de forma agressiva com uma comemoração que se fosse feita de outra forma agradaria tanto quanto essa. Vamos aguardar o ano que vem pra ver como nosso PedroMalu se comportará, e como será minha reação...
_______________________________________________________________________________________

Então, filho.
Continuando nosso momento mamãe-filhote-público, venho lhe contar como foram nossos dias desde o feriadão. Bem normal, já que pra gente ficar em casa não tem nada de novidade. O primo João Victor tava aqui fazendo farra com o Gabriel. E a Lulu nem perturbou muito a gente, graças a Deus.
Nossa terça-feira foi legal, fomos no Burger King com a vovó Zel, o papai e o primo João. Comemos um hambúrguer sim! Tava cheia de fome! HAHAHA. Ficamos lá um tempo... Papai tava sem fome, o que é um milagre, ou nem tanto, já que a comida da vovó hoje foi aquele strogonoff divino!
Dando aquela voltinha no shopping, visualizei na vitrine de uma loja um ursinho lindo, com a blusa do Flamengo. Bem, eu tenho a leve intuição de que você é menino, seu pai acha que é menina, mas independente de sexo, ursinhos são sempre bem vindos! Pelo menos pra mamãe aqui! A vovó entrou e comprou pra nós de presente de páscoa. Cara, eu quase chorei, afinal, essa páscoa foi a mais pobre da minha vida (triste ser mimada viu?).

Fomos pro curso, o assunto de hoje foi muito bom pra mim, e olha que eu nem queria ir... Quem deu aula foi seu tio-avô França. O tal assunto foi: aborto-reencarnação. Pois é, a vida sempre me lembrando do momento mais triste da minha vida até hoje. Mas é bom, a ferida não tá cicatrizada, mas já criou aquela casquinha sabe? É muito delicado. As coisas aconteceram muito rápido comigo, e eu me achando tão nova pra já ter passado por isso tudo...
Esses assuntos rendem, então a aula passou voando, e foi muito boa. Me esclareci bastante, e sei que você veio agora porque precisa, e que talvez você esteja com medo de voltar, mas filho, eu te amo tanto, e vou te ajudar em todos os momentos a superar qualquer dificuldade imposta pela vida, não precisa ter medo!

Comi um prato de strogonoff quando voltamos, fiquei até meio chateada, que tinha quase nada, e a gente veio contando com a comida pra casa, e ma tinha pra mamãe e pra você. Bem, comemos, e acho que não caiu bem, fazia tempo que não enjoava assim... Tomei 2 dramins (sim, two!) e morguei na cama. Nem vi papai dormindo, e nem indo trabalhar.
Nossa noite foi agitada, levantei pra ir ao banheiro e com os sonhos também. O tempo todo acordando assustada, coração disparando. Estranho! Nada que uma oração não acalmasse e nos levasse de volta aos sonhos.

Hoje tô super lesada por conta dos remédios de ontem. Já sou normalmente, com remédio então... dá pena rs.
Começarei hoje um curso no SENAI sobre micro empreendedorismo. Papai tá fazendo e super me recomendou. Lá vamos nós estudar.

Mamãe te ama, meu anjo.
Beijos cheios de amor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário