Casa de Parto: Amamentação

E a saga pelo parto natural continua, e a mamãe aqui tem que seguir algumas normas da Casa de Parto David Capistrano Filho. Uma das normas é comparecer a entrevistas com a assistente social e frequentar algumas palestras e grupos de gestante. Não é sacrifício nenhum, na verdade é maravilhoso!


Essa semana, ao invés de ir duas vezes como era o previsto, fui somente uma vez lá. A copa fez adiar tudo pra um único dia porque a parte administrativa não funciona, eu acho, algo do tipo. Então fui transferida do dia 25/06 pro dia 01/07.
Sai de casa 14 horas em ponto. Achei que fosse chegar até antes, já que nunca tem trânsito, e daqui pra lá é sempre uns 20 minutos de van. Mas, eu fui de ônibus, e adivinhem? Pior que van! Não pretendo tão cedo voltar a ir de ônibus pra lá. O ônibus parou em to-dos (eu disse todos!) os pontos possíveis. Já eram 14:30 e eu ainda não tinha chego nem na metade do caminho.
Eis que Deus ajuda, sem-pre ajuda! E quando eu achava que seria impossível chegar a tempo, o ônibus parou no sinal e eu desisti, pedi pra descer. Desci um ponto antes, mas consegui andar e chegar a tempo pro grupo.
Só que nada é perfeito, então eu sentei, a moça pegou meu cartão (sim, lá elas fazem tudo pelas gestantes, se você está enrolada com cansada elas vão até você pra ajudar) e viu que eu tinha assistente social no mesmo horário do grupo. Fiquei mega chateada achando que teria que escolher uma ou outra. Mas não! (yeah!) Eu consegui fazer os dois, pois como disse, eles fazem tudo pela gestante! E isso só fez com que a mamãe-super-poderosa aqui ficasse ainda mais encantada com o ambiente!

Primeiro entrei na sala da assistente social. Sala toda rosa. Tinha uma cama de solteiro e um cestinho de vime lilás. Um banheiro no canto, e no meio da sala tinham dois bancos, um que cabiam duas pessoas e outro que cabia uma só, também de vime. Tudo muito bem decorado, clean e muito charmoso. Fiquei a vontade com ela. Uma coisa que eu sei é que as assistentes sociais perguntam o necessário e durante a conversa elas vão percebendo coisas e anotando (tal como uma psicóloga) e vão levando a conversa pra onde acham que tem um problema.
Respondi ao questionário social que é obrigatório (sim, o governo gaz questão de saber quantas televisões você tem em casa, rs). E depois ela começou a fazer perguntas do tipo: "quando você pretende engravidar de novo?" e "qual método contraceptivo você costuma usar?". E fui me soltando na conversa.
Interrompemos quando a outra moça veio nos chamar para o grupo de gestantes. Fomos então as últimas a entrar. Mauro chegou nessa hora. Primeiro assistimos a um vídeo bem interessante com informações sobre a forma de amamentar corretamente, sobre o apoio da família e etc.

Vou especificar algumas coisas que aprendi lá, não sei se são informações confiáveis (eu confio), e nem se todos vão concordar, mas aqui estão:

- Rachadura nos seios: para evitar só há uma forma, amamentar do jeito certo (que é com o bebê virado totalmente pra você e estimulando a boquinha dele pra pegar a auréola além do bico - afinal, sai leite por ela também). Não adianta passar pomada e nem esfregar com bucha.
- A melhor maneira de prevenir a cólica e prestar atenção no que você come, ou seja, comeu algo diferente naquele dia e deu cólica no bebê, não coma mais amamentando.
- O leite tem duas colorações: branco e amarelo. O branco é o leite com vitaminas, é o primeiro que sai na mamada. Depois ele começa a sair amarelado, é a gordura, é aonde o bebê começa a pegar peso.
- Esvaziar um peito inteiro antes de passar pro outro, e se o bebê dormir, registrar o seio que ficou sem mamar para ser o próximo. E se ele não esvaziou um inteiro, Jéssica? Então quando ele sentir fome de novo você dá esse que ele não esvaziou. Super simples!
- Não é recomendável estimular o bebê a mamar na mamadeira ou chupar chupetas, isso faz com que ele fique preguiçoso e mame de forma errada.
- O ideal para armazenar leite é fervendo potes de vidro com tampa de plástico por 15 minutos, e depois estimulando e ordenhando com as mãos, nada de bombas.
- Soutiens com bojo? Nunca mais! O melhor para quem pretende amamentar é aquele velho da vovó! Para não prejudicar a formação de leite.
- Ideal sempre - antes de amamentar - massagear os seios antes com a ponta dos dedos. Nunca em baixo do chuveiro ou com compressa de água quente, isso ao invés de desfazer as pedras, só faz com que você produza mais leite.
- Sim, nós podemos comer e beber durante a amamentação (digo o ato em si de amamentar). É sempre bom ter um copo de água e alguma fruta perto. E conte sim com a ajuda de parentes, eles são essenciais, se você precisar de água, peça. Amamentar dá sede.
- Nunca amamente em um ambiente estressante! Converse com a sua família e peça para que eles não perturbem durante a amamentação. Que não briguem, e nem falem muito alto.
- O ideal é o bebê mamar de 3 em 3 horas, mas se ele quiser mamar antes pode dar. Mas nunca passar dessas 3 horas. Se ele não quiser acordar, só tirar as roupinhas e coçar os pés. Sempre funciona, rs.

Acho que só, não fiz muitas anotações porque o grupo é mais de debate. Conversamos e tiramos nossas dúvidas. Achei bem interessante! Pretendo fazer vários grupos, tenho mais 3 marcados para esse mês e tô bem empolgada.
Esse eu achei bem essencial, toda mulher deveria fazer. Cada obstetra é uma, cada pediatra é um. Então cada médico que você vai te dá uma recomendação diferente. Cansei de ouvir médico falando pra eu usar pomadas e esfregar o seio com uma toalha áspera, isso sem nem examinar meus seios. Quando cheguei na casa de parto a primeira coisa que fizeram foi exatamente examinar meus seios, viram que meus ductos já estão cheinhos e me explicaram até mesmo o que era a macinha branca que vira-e-mexe aparecia no bico.
Ah o bico, por falar nele, vocês sabiam que não é preciso fazer nenhuma manobra ou usar concha para estimular o crescimento dele? Vocês sabiam que o bico aparece certinho na hora de amamentar? E que o próprio bebê se adapta ao tipo de bico do seio da mãe? Pois é, eu não sabia. Vivia apertando meu seio pra tentar estimular o bico (já que o meu é pra dentro), e adivinha? Coincidência ou não, tentei a manobra duas vezes, e as duas vezes meu seio ficou dolorido. E de umas 2 semanas pra cá meus seios mudaram muito, cresceram, as veias estão mais visíveis e a auréola mais escura e grossa (sem usar na-da). Agora eu tenho um bico bem discreto. E o mais interessante: sai colosto. Pois é, amigas leitoras, co-los-to. Volto a repetir: sem usar nada.
Amigas, pensem comigo: na época de nossas avós, bisavós e até na época de nossas mães (dependendo da idade delas) não tinha nada disso. Minha mãe mesmo não usou nada, e deu tudo certo. O único problema é que nasci de cesariana e o leite dela não desceu. Ai tive uma ama de leite (sim, igual nos filmes velhos, rs) que foi minha madrinha até. Mas todos os outros filhos que ela teve de parto normal mamaram bem.

O ideal é o bebê mamar somente o leite materno até os 6 meses. A licença maternidade dura em média 4 meses. Então a mamãe pode ordenhar e congelar para a pessoa que for dar aquecer o leite e dar na mamadeira. Após os 6 meses que podemos (com o auxílio do pediatra) introduzir alguns alimentos como frutas e legumes.
Ah, uma curiosidade é: crianças que mamam no seio tem menos chance de ter doenças alérgicas, diarréia e gripe nos primeiros anos de vida. E ao contrário do que eu pensava: somente o leite materno é suficiente. Mesmo se o bebê tiver diarréia, por exemplo, você não precisa dar água, só o leite tá bom!

Dizem por ai que amamentar é muito bom. Rezo todos os dias para que eu possa ter a oportunidade de alimentar minha filha. Pretendo dar de mamar até ela enjoar e sempre que ela quiser! De manhã, tarde ou noite, ou madrugada, que seja! Viro um zumbi, mas não quero perder esse momento tão mãe e filha.

Outra coisa dita na palestra e que pretendo cumprir é a forma de amamentar. O melhor para o bebê (no começo da vida principalmente) é dar de mamar livre, sem soutien ou blusa, com o bebê sem roupa (só de fralda) bem coladinho no corpo da mamãe. Ele estava dentro de você, acostumado com a sua temperatura e ouvindo os batimentos do seu coração, nada melhor do que sentir isso tudo de novo, só que do lado de fora. Por isso amamentar, pra mim, se tornará um momento a sós, sem visitas ou parentes por perto. No máximo o maridão que é um pai mega babão!


Acho que é só, minha gente. Quando começar a amamentar posto minha opinião decentemente. Não discrimino e nem acho quem não amamenta menos mãe do que quem amamenta. É a mesma coisa do parto normal e cesárea. Cada uma faz a sua escolha, e a escolha depende da vida que a pessoa leva, e da forma como vê a vida, logo é bem individual.


Para quem for amamentar, meu boa sorte e saúde. Para quem não for, saúde e sorte da mesma forma!

Beijos, mamãe-ansiosa-pra-dar-mamar!

ps: Mais uma curiosidade que lembrei agora. Perguntamos sobre remédios durante a amamentação. Elas falaram que com ordem médica, ok. E que até quando o remédio for pro bebê o melhor (ao invés de forçar garganta a baixo do pequeno) é a mãe tomar o remédio e amamentar. TUDO o que comemos e bebemos passa pro bebê, seja saudável ou não. Por isso que temos que ficar de olho nas reações do filhote. #ficaadica

Nenhum comentário:

Postar um comentário